:cpha_discord_icon_yes: Vou comprar/construir/remodelar uma casa, como a devo preparar para a domótica?

Neste tópico vamos falar sobre boas práticas para quando se constrói ou remodela uma habitação para a preparar para a instalação de equipamentos de domótica. Embora os temas sejam abordados segundo a perspectiva de antes de iniciar a obra, tudo isto também se aplica em certa medida à compra de habitação e até à casa onde se vive actualmente.

Vários utilizadores têm-nos pedido informações sobre este assunto nos últimos meses e existem cada vez mais pesquisas no nosso fórum nesse sentido. Embora existam já alguns tópicos sobre o assunto, achámos que estava na hora de condensar tudo num só lugar para que no futuro seja mais fácil para todos acedem a esta informação.

O @RodolfoVieira dizia num tópico à um ano atrás uma coisa sobre a qual tenho a mesma opinião: “Um dos principais erros que o ser humano comete é colocar o entusiasmo à frente da racionalidade”. A instalação da domótica e as possíveis obras associadas deve ser muito bem pensadas e ponderadas pois envolvem um investimento financeiro que poderá ser considerável dependendo da quantidade de equipamentos, tecnologia utilizada, numero de divisões e área. Fazer tal investimento e não ter o retorno desejado com as coisas a não funcionarem como esperado ou ficarem com um aspecto menos agradável (com fios à vista por exemplo) vai impedir-nos de desfrutar na totalidade desse investimento. E também é preciso pensar no factor WAF… :wink:

Por esse motivo iremos aqui abordar várias temáticas a ter em atenção para que tudo corra bem e sem surpresas. Cada publicação dentro deste tópico irá abordar uma área diferente (electricidade, construção civil, etc) para que quando forem fazer as obras, ou entregarem a alguém para fazer, tenham já uma ideia do que devem/querem fazer. Assim, evitam problemas futuros em que não conseguem por exemplo colocar um estore eléctrico porque se esqueceram de colocar um ponto de electricidade junto à janela, com ligação à caixa do estore, para colocar o interruptor e o equipamento de controlo do mesmo.

Este tópico, ao contrário do que é normal, estará fechado a comentários para que a informação não fique dispersa no tópico. Caso tenham alguma questão sobre algum dos temas abordados, podem (e devem) abrir um novo tópico.

2 Likes

Quadros Eléctricos


Espaço, espaço, espaço... Nunca é demais o espaço num quadro eléctrico (QE)! Equipamentos eléctricos em carga fechados numa caixa aquecem e o calor é inimigo da fiabilidade. Mas para quê tanto espaço?
  • Instalação de medidores de energia, quer seja apenas para o consumo total da habitação ou para medição individual de cada circuito. Dependendo do tipo de equipamento podem ser medidos os consumos instantâneos, totais, factor de potencia, frequência, voltagem, sentido de corrente (consumo/produção), etc. Exemplos de equipamentos: SDM120, SDM220, PZEM-04, Datawatt, Open Energy Monitor

  • Instalação de contactores para o corte de energia a equipamentos de consumo elevado (superiores a 16A) e/ou para um contactor de corte geral de energia em caso de emergência (incêndio por exemplo).

  • Instalação de medidores de água e gás pois normalmente é possível passar os cabos de informação juntamente com os cabos de chegada de electricidade que dão entrada no QE. Estes equipamentos medem tanto a totalização do consumo como o consumo instantâneo e devem ser montados sempre depois dos medidores das empresas de fornecimento do serviço. No caso do gás é preciso ter em atenção se o equipamento é apropriado e está certificado para gás pois existe o risco de explosão.

Caso a habitação tenha mais que um piso deve ser utilizado um QE principal seguido de um QE parcial por cada piso. Esta configuração permite que no quadro principal haja menos equipamentos, instalando apenas disjuntores para os sub-circuitos de cada piso (iluminação, tomadas, estores, etc.) tendo também a grande vantagem de em caso de necessidade desligar a energia a um piso sem afectar os outros (seja em caso de avaria ou manutenção).

Um outro assunto que tem bastante a ver com o próximo (Interruptores, Pontos de Luz, Tomadas e Rede) é a questão de onde passar as tubagens eléctricas. O tradicional chumbar os tubos na parede tem o problema de ser tornar dispendioso se for necessário adicionar tubagens no futuro.

Para uma maior flexibilidade as tubagens poderão ser passadas em tecto falso, sem esquecer de deixar zonas de acesso preparadas, e/ou por baixo de piso flutuante (também conhecido por piso elevado). Esta solução tem a vantagem de caso seja necessário colocar mais equipamento, caixas de dericação por exemplo, as obras serem muito menores do que abrir roços por toda a parede bastando um pequeno rasgo na mesma. Já as calhas de rodapé têm um WAF baixíssimo e devem fugir delas sempre que possivél… :smiley:


1 Like

Interruptores, Pontos de Luz, Tomadas e Rede


Em **todos** os sítios devem ser colocadas caixas de aparelhagem fundas, também conhecidas por caixas de dupla profundidade, para a instalação de tomadas e interruptores. As caixas de derivação deverão também ser espaçosas para que possam ser ligadas todas as tubagens necessárias.

6b291ca294dac7060df4b3ed93b9fe62 6f9e9ffb95fa40c16ee9a071460c7a6e

Outro pequeno (grande) pormenor é o tubo corrugado utilizado para ligar entre caixas e das caixas ao QE, o qual deverá ser o mais largo possível para que os cabos passem sem prender e para no futuro, se necessário, passar mais cabos.

Não devem ser misturados no mesmo tubo sub-sistemas diferentes, pelo que deve ser utilizado um por cada tipo de ligação: iluminação, tomadas e comunicações (rede e TV).

Quem tem espaços exteriores onde haja necessidade de regar, seja moradia, vivenda ou terraço, devem também passar tubagem para o exterior e, se possível, colocar um QE (no interior da habitação ou no exterior desde que devidamente resguardado do elementos e próprio para exterior). A esse quadro deverão chegar e sair tubagens para iluminação e tomadas mas também prever tubagem de reserva e para a colocação de vídeo-vigilância cablada que é muito mais segura que a WiFi.

Nas zonas relvadas as tubagens devem ser próprias para enterrar e estar o mais junto possível de muros ou paredes. Caso tal não seja viável, devem fotografar para memória futura o sitio onde as tubagens passam.

Para que fique tudo preparado para o futuro devem prever também uma tubagem de reserva para o caso de precisarem de mais circuitos e outra de emergência para o caso de quererem utilizar uma UPS ou gerador numa situação de falta de energia poderem ter parte da iluminação e estores a funcionar.

INTERRUPTORES

Estas caixas permitem que os interruptores de parede sejam instalados conjuntamente com equipamentos tipo Sonoff Mini, Shelly, BHonofre, Fibaro sem que seja necessário forçar o interruptor ao fechar a caixa.

Ainda em relação a interruptores, existe também a opção dos tão amados por uns e odiados por outros interruptores touch existindo versões com e sem dimmer e também duplos ou triplos (dependendo da marca existem interruptores com 10 vias!). Se optarem por este tipo de interruptores, devem comprar mais alguns para que no caso de avaria terem outro de reserva. Os modelos são descontinuados ao fim de algum tempo e se for necessário trocar por outro diferente vai ficar feio (atenção que o factor WAF é muito importante…:stuck_out_tongue_winking_eye:). Exemplos de equipamentos: Sonoff T1, Sonoff Touch, Fibaro, Livolo.

Os interruptores a utilizar são também uma questão de gosto mas o tipo de interruptores já é outro assunto. Podem utilizar os interruptores que quiserem mas o interruptor de pressão (também conhecidos por interruptores de mola, clique, etc) que são os usados nas campainhas são os mais adequados para utilização com equipamentos tipo Sonoff Mini, Shelly, BHonofre, Fibaro.
Este tipo de interruptores tem como característica ficar sempre na mesma posição, já os interruptores tradicionais tipo liga/desliga, quando usados com um equipamento IoT, se os ligarem no interruptor e este ficar para baixo e depois desligarem com uma automação ou comando do HA o interruptor fica para baixo. Visualmente é estranho pois por vezes têm sítios como a sala com vários interruptores lado a lado e as luzes estão todas apagadas mas ficam com uns interruptores para cima outros para baixo.

Utilizar interruptores tradicionais têm um WAF (Wife Acceptance Factor) baixíssimo e que pode levar a algumas discussões e noites passadas no sofá :grin:

PONTOS DE LUZ

Quanto aos pontos de luz podem utilizar apenas a ponta do tubo rente ao estuque ou colocar uma caixa de profundidade normal, fica ao gosto de cada um. Nos pontos de luz normalmente não é necessário colocar nenhum equipamento de IoT embutido por isso não há necessidade da caixa, a não ser que tenham bastantes pontas para arrumar (candeeiros em que podem ser controlados conjuntos diferentes de lâmpadas) e o candeeiro tenha pouco espaço para isso. Se a instalação for em tecto falso não há nada de especial a fazer.

TOMADAS

As tomadas deverão ser em numero suficiente, e com alguma margem, em relação ao número de equipamentos previstos em cada divisão para que não seja necessário ligar fichas triplas nem extensões. Neste aspecto gostaria de referir a titulo pessoal que acho que não se devem colocar aparelhos de controlo permanentes nas tomadas (Shelly 1 por exemplo) pois se ligarem um equipamento que exceda a capacidade do aparelho facilmente têm um problema grave com a possibilidade de provocar um incêndio. Nas situações em que é mesmo necessário o controlo de algo ligado à tomada é preferível o controlo no próprio equipamento (por exemplo um candeeiro com um Sonoff Mini) ou uma tomada externa controlada por WiFi ou Zigbee.

REDE

As tomadas de rede deverão existir pelo menos duas ou mais por divisão para permitir a ligação de equipamentos de rede cablados e pontos de acesso Wifi (vulgo APs) para uma melhor cobertura de rede.

images

1 Like

Copyright © 2017-2020. Todos os direitos reservados
CPHA.pt - info@cpha.pt


FAQ | Termos de Serviço/Regras | Política de Privacidade