Como interpretar corretamente as leituras do meu contador com o HA?

Acho que tens de consumir pelo menos 50% da produção

Mais dia menos dia, impõem limites como noutros paises

A legislação é clara. Só necessitas de licença para produção superior a 30kWh. Não há imposição de consumo próprio, se produzes menos basta a MCP - Mera Comunicação Prévia.
Relativamente ao que acontece noutros países, o problema é que se teu bairro inteiro produzisse muita energia, chegaria a um ponto em que não poderias mais elevar a tensão, pois todos estariam a tentar elevar a tensão para forçar a saída da sua energia gerada. Como óbvio, há um limite máximo na elevação da tensão que eu creio seja 240V, e isto impediria a exportação de energia. No nosso quadro, onde há pouca produção residencial solar, estamos muito longe de lá chegar.

Em relação aos contadores, há que ter em mente que o único contador que pode produzir algum efeito numa disputa legal é aquele instalado pelo operador.
Dito isto, eu faço a colheita de contagem à cada 5 minutos e o meu HA tem o InfluxDB instalado. Depois faço queries temporais de 15 em 15 minutos onde recolho a primeira medida dos 15 minutos e subtraio ela da última medida dos 15 minutos. Assim fico com o meu consumo e produção à cada 15 minutos.

Depois vem a confusão… Imaginas que, num período de 15 minutos consumiste 2kWh mas que, nos mesmo 15 minutos, produzistes 4kWh. I.e.: O tempo estava encoberto; ligaste o forno elétrico quando não havia sol e, cinco minutos depois, o sol saiu. Ao fim de 15 minutos havias consumido 2kWh mas ao fim de 15, havias produzido 4kWh. Eu acho que o valor a cobrar deveria ser nulo pois o valor de consumo seria 2kWh e o de produção 4kWh, resultando então numa produção “vendável” de 2kWh, ou seja, os 4 que produzi menos os 2 que consumi.

Enquanto parece “besteira” a preocupação com isto, repara que o operador te vende energia por X e que te compra por a mesma X/7 ou seja, chega a ser 7 vezes menos o que te pagam pelo que geras. Se durante o período de 15 minutos eu produzir excedente ao meu consumo no mesmo período, então estarei a vender minha energia pelo mesmo preço que o operador me cobra, o que pode ser até 7 vezes mais.

Com o que digo acima em mente, o InfluxDB é horrível para este tipo de cálculo. Então instalei o MariaDB, via Node Red crio um trigger de 15 em 15 minutos onde executo um query ao InfluxDB a pedir a diferença entre o último e o primeiro registo dos 15 minutos. Guardo o resultado no MariaDB e assim a minha base de dados de consumo/produção se vai se construindo.

Ao final até posso ter os dados, mas não sei como os cálculos do operador são feitos. Estou à espera da primeira fatura de venda para tentar cruzar dados e tentar entender.

Acresce que a lei permite ao operador até 4 meses para se adaptar ao cenário de consumo/produção.

1 Curtiu

isto é só para quem vende certo ?

Certo! Quem só quer controlar o que gasta deve seguir o tutorial para este efeito.

Quem tem UPAC tem de descontar a produção (em períodos de 1/4 de hora) ainda que não venda o excedente. Nesse caso as instruções que estão neste tópico não são suficientes pois vão assumir um consumo maior do que o que vai ser enviado ao comercializador.

mas como é que o contador mede a produção e não o retorno à rede ?

1 Curtiu

Eu por acaso estou curioso sobre esses cálculos.

Atualmente já tenho contador que envia os dados de 15 em 15 minutos para a E-Redes.
Já estive a fazer umas simulações rudimentares e se somar os consumos de todos os períodos de 15 minutos dá um valor muito aproximado do valor também existente no portal de cliente da E-redes.

Por acaso já tentaram fazer uma análise semelhante com os dados que devem ter acesso fazendo login na E-redes?

Pode ser que para breve também passe a ter dados de injeção na rede e depois dou feedback.

Mas era bom que descontassem o valor injetado a 15 minutos do valor consumido. Isso era mesmo TOP.

Na página das leituras da E-Redes.

https://online.e-redes.pt/premises/contract/.../readings

Ao alteramos o último segmento temos acesso aos gráficos de consumo e produção quarto-horários, inclusivamente dá para exportar os dados para analizar.

https://online.e-redes.pt/premises/contract/.../consumptions

E-REDES Online

1 Curtiu

O contador para instalações que possam injetar energia (exportar) são obrigatoriamente bidirecionais. Quando fazes o registo obrigatório (MCP - Mera Comunicação Prévia), o operador troca o contador (às tuas custas, pois tens de pagá-lo). Se não vendes energia, azar o teu porque o teu excesso vai para o operador de forma gratuita. Se vendes, pela lei o operador tem de contabilizar a diferença entre consumo e produção à cada 15 minutos.

Se tu vires a imagem que mandei anteriormente, o valor declarado pela E-redes é idêntico àquele que recolho do contador. Parece-me (deixa-me repetir “parece-me”) que eles publicam os números “oficiais” e que depois fazem suas contas internamente. Entretanto, não publicam o que tu produziste.

Luís, que link é este??? Fiz o mesmo que sugeres e obtive mais informação (gráfica), mas não há como chegar no " consumptions" por qualquer link da página. Como é que lá chegaste, és colaborador da E-redes? O que mais está escondido no site que não vemos normalmente?

A minha pergunta é pq esses gráficos dizem “Dados de Produção” mas na realidade só consigo pensar que sejam “Dados de Exportação para a Rede” (na realidade produzes mais que consomes em casa)

Desculpe Diogo mas não entendo tua questão. Eu só descobri o “link mágico” sobre aquilo que produzo hoje, via o post do do Luís. Os dados que eles publicam está no excerto abaixo. A informação contida permite-nos ver que colhem o consumo e produção à cada 15 minutos e até disponibilizam. Creio, contudo, que pouca gente sabe deste link. Veja:
image

E sim, produzo muito mais do que consumo em casa…

Já agora, alguém sabe dizer se existe alguma API para ir buscar estes dados na E-redes? Ficaria absurdamente mais fácil buscar os dados para computarmos no HA.

Também só soube desse link ontem através de outro fórum. Que eu saiba não há API e não é fácil sacar os dados pois o login do site está protegido por “captcha”.

Entretanto, passado o entusiasmo de ter conseguido pegar mais informação via o site do operador, fiquei ainda mais confuso. Quando fazemos o download do Excel com os dados do gráfico, vem aquilo que partilho aqui abaixo.

Se olharem atentamente poderão ver que, por exemplo, no dia 3 de agosto, às 12:30, eu produzia 3,956kW. Às 12:45, produzia 4,348kW enquanto importava zero. Como vou calcular o kWh consumido/fornecido com base nisto? Parece-me que a informação reflete a relação instantânea de consumo/produção mas não aquela que o contador acumula como tal como kWh consumido/produzido. Tendo como objetivo calcular o quanto eu vou pagar e quanto vou receber, tenho de determinar o kWh de consumo e de produção.

De notar que o meu HA recolhe os valores de consumo/produção à cada minuto.

Como chego lá??? Como estes dados me podem ajudar a calcular o que quero?

O valor 3,956 é referente à injeção na rede durante esse período de 15 minutos. Como a unidade em uso é kWh e estás com o período de 15 minutos terás que dividir por 4 (15/60 minutos). Somando os quatro parciais de cada hora tens o valor injetado na rede.

Cheguei a essa conclusão porque fiz essas mesmas contas no meu caso comparando valores de 1 mês. Como não tenho produção foi simples fazer as contas no Excel e comparar. Claro que detectei umas pequenas diferenças (1,4 khw em 30 dias), mas pela análise de cada período penso que essa diferença se deve aos arredondamentos (isto de 15 em 15 minutos é o valor médio e com poucas casas decimais).


Copyright © 2017-2021. Todos os direitos reservados
CPHA.pt - info@cpha.pt


FAQ | Termos de Serviço/Regras | Política de Privacidade