Samba Add-On e Linux

Olá a todos, tenho andado a explorar a ideia de ter um servidor caseiro, lá ficaria o Home Assistant, Plex, TVHeadend e toda a minha multimédia, isto para já, mas com o tempo mais algumas coisinhas à medida que as necessidades crescessem.
Peguei num PC velho para fazer experiência, instalei o Ubuntu server 18.04, o Hassio dentro do docker, tudo funciona perfeitamente à excepção de uma coisa, a partilha Samba, instalo o add-on, consigo partilhar as pastas do hassio no windows, mas se criar um samba share no ubuntu não consigo aceder sem desligar o samba share do add-on. Penso que seja por se tratar do mesmo IP? Claro que posso sempre lembrar de ligar e desligar o Samba add-on, mas não é solução, até porque não seria a primeira vez que o frontend do Hassio não arranca, mas através do Samba acedo ao LOG. Alguma sugestão? Provavelmente está a escapar-me alguma coisa.

Porque é que não usas o samba do Ubuntu para aceder aos ficheiros do hass.io?

Isso era o ideal, mas ainda não percebi como fazer o share dos containers do docker via samba (ando a dar os primeiros passos em linux).

Tal como o @Maddoctor disse, a tua melhor opção é utilizares o Samba do Ubuntu.

Não precisas de fazer shares nenhumas do Docker pois o container do Home Assistant já as cria. Estas shares estão localizadas nos seguintes locais:

  • Config: /usr/share/hassio/homeassistant
  • SSL: /usr/share/hassio/ssl
  • Share: /usr/share/hassio/share

Estas localizações são para Raspbian num Rpi 3 mas em Ubuntu devem ser iguais. Talvez o @tmarquespt possa confirmar isso assim que puder.

Podes, e na minha opinião deves, instalar no Docker o Portainer que te irá dar uma interface gráfica para poderes gerir container, imagens, redes e volumes. Poderás também ver estatísticas relativas à utilização de memória, rede e CPU, assim como os processos activos em cada container.

O Portainer pode ser instalado via CLI através do seguinte comando:

docker run -d -p 9000:9000 --restart always --name=portainer -v /var/run/docker.sock:/var/run/docker.sock -v portainer_data:/data portainer/portainer

@Victor_Moreira

Atualmente tenho instalado todos os referidos servidores (plex, tvheadhend, …) a funcionar perfeitamente… e integrados com o HA, fazendo utilização dos mesmos, diariamente, sem constrangimentos. Contudo, não tenho os mesmos num único sistema.

Existem diversas complicações que podem originar constrangimentos se tiveres alguma carga (transcoding, IOs disco, latência, throughput,…) como limitações em portas se tiveres só uma placa de ethernet.

A não ser que tenhas várias placas de rede, um bom processador, ram, disco rápido, … podes ter uma experiência desanimadora, comprometendo a eficiência e eficácia de alguns ou todos esses serviços.

O HA deve estar em um ambiente seguro de compromissos de concorrência para teres uma boa experiência. O mesmo aplica-se aos restantes serviços referidos.

Não obstante do anteriormente referido, podes conseguir atingir o teu objectivo restringindo os constrangimentos que indiquei acima.

Respondendo diretamente a tua questão: o acesso a pastas e ssh do HASSIO deve ser feito ao IP do container… ou, se tiveres em bridge com a placa de rede a portas diferentes e livres.

Adicionalmente, caso tenhas instalado o hass.io pelo script… o controlo do Ubuntu está a ser realizado pelo supervisor. Por este motivo, estás a limitar a utilização do SO do host em outros serviços não geridos pelo hass.io.

Dependendo dos recursos e necessidades que tenhas, a utilização de um SO tipo freenas, unraid,… em que possas instalar uma máquina virtual para teres o hass.io virtualmente separado seria provavelmente a melhor solução.

Na verdade vc precisa ter as pastas com os arquivos do HA localmente, e mapea -los para dentro do Docker como volumes.
Assim o samba local do ubuntu vai conseguir te expor os arquivos.
Eu tenho esse mesmo cenario em casa, a diferença que ao invez de usar docker eu instalei via python ja para nao ter esse tipo de problema.

Poderia explicar mais sobre esse TVHeadend ? oq é ? oq faz etc…
fique curioso.

@j_assuncao:
Obrigado, essas shares resolveram. Já tinha o portainer instalado tenho é de aprender mais sobre o mesmo e sobre o docker.

@Luis_Andrade:
Para já tenho o hass.io instalado num RPI3, que é a solução mais fácil principalmente para principiantes como eu. De qualquer das formas meti na cabeça que podia explorar isto um pouco mais e aprender, para já estou a experimentar num portátil mais antigo que por cá tinha e este não aguenta com isto tudo, mas a ideia será montar um mini servidor, a ideia é que dê margem para dois transcodings em simultâneo, em que na realidade só vai um ser usado, a restante capacidade é para ter folga para tudo o resto. A dica das placas de rede não me lembraria.
O hass.io foi instalado pelo script mas dentro do docker, isto por sim não é já uma espécie de isolamento?

@CarlosMartins:
O TVHeadend, é um servidor de TV por assim dizer, com um tuner USB consegue-se receber o sinal de antena ou da operadora de televisão e espalhar pela casa em rede. Depois podem-se ver os canais através do KODI por exemplo. Dá inclusivé para fazer gravações, usar EPG, etc.
Dá ainda para usar IPTV e aceder a partir de qualquer dispositivo.
Isto tudo também incluindo aceder a partir de fora de casa ao nosso servidor e ver os canais num telemovel.

Se pretenderes ter mais streams no plex e um cliente nativo de IPTV em Android , podes utilizar a nvidea shield. Consegues fazer aproximadamente 4 streams de transcoding e libertas muito processamento do servidor.
Dependendo do tipo de DVB que utilizas (ex: DVB-T pelo ONT de fibra da MEO), podes utilizar um sintonizador de rede como o HDhomerun (tens de 2 e 4 tunners), sendo o HDHR5-4DT, o ideal para libertar também carga no servidor e ficar acessível quer para o tvheadhend como outras aplicações e serviços.

A maior vantagem de teres equipamentos separados é libertar recursos e diminuir a indisponibilidade de serviços em caso de constrangimentos centrais.

Nem de propósito tenho uma nvidia shield a caminho e ando a equacionar o HDHomerun já há algum tempo também.

Quando referes mais streams no plex, estás a dizer usar a Nvidia Shield como Server? Acho que já li que a Shield dá para servir de Plex Server, nesse caso fica sempre ligada certo? E o cliente nativo de IPTV na shield? Alguma aplicação própria? (aqui IPTV refiro-me a listas).

Sim. A shield como plex server e cliente. O mesmo é instalado normalmente com se fosse uma outra qualquer app ficando como servidor e cliente. Acedendo ao ip e porta do plex na shield podes configurar o servidor. A parte de transcoding está limitada (como em qualquer outra instalação), naturalmente, a uma licença plex. O mapeamento da biblioteca pode ser por share de rede definido no Android ou usb. Apesar do equipamento ficar em modo de suspensão (como um telemóvel) desliga só o ecrã, os serviços todos continuam disponíveis. Podes funcionar com tudo (chromecast, plex,…) e o HA, como qualquer solicitação externa olha para o mesmo como ligado e disponível.

O cliente de IPTV é nativo no Android tv na última versão (ainda em beta) sendo totalmente automático e transparente ao utilizador qualquer necessidade de configuração se existir um hdhomerun na rede para sintonizar os canais (testado e verificado no HDHR5-4DT, como meo fibra no sinal DVB-T) . Contudo, ainda não está disponível o epg e gravações associadas no cliente Android por motivos de reserva da hdhomerun. Para tal o ideal é ter um tvheadhend como servidor e um addon cliente no kodi que permite todas essas funcionalidades por apanhar o epg na frequência do sinal. Em relação a listas não sei porque não utilizo.

@ goliath_2k
Sobre TVHeadend, no caso eu teria um servidor e espalharia pelas tv’s desde q sejam smart e tenha o Kodi instalado ?
Mas de onde recede os canais essa é minha duvida, pois no caso listas de IPTV PAGAS não seria uma boa opção pra quem pensa em economizar.

Correto. Tens de ter um servidor tvheadhend e o addon cliente no kodi… ou alguma outra app para ligar ao servidor.

O serviço é totalmente gratuito e legal. Utiliza os canais que são recebidos por DVB-T (por exemplo) pelo operador de televisão ou via TDT.

Não é utilizado qualquer serviço de listas pagas ou gratuitas. Fica tudo configurado garantindo os pressupostos legais. A diferença é o sinal ser distribuído por rede IP (Wifi ou cabo ethernet) e não por cabo coaxial.

@Luis_Andrade, obrigado, já me ajudaste imenso, não sabia que AndroidTV já suportava isso. Sendo assim lá terá de vir um HDHomeRun. A ver se apanho alguma promoção.

1 Like

Muito bom mesmo, e obrigado pela aula.
Me resta uma duvida, se estiver recebendo o sinal por uma operadora de tv a cabo, e espalhando pela rede e assistindo usando Kodi, consigo assistir a canais diferentes em diferentes dispositivos ?

Sim. Podes ver todos os canais que conseguires sintonizar… estando limitado ao número de canais diferentes pelo número de sintonizadores em frequências distintas. Ou seja, 4 sintonizadores não significa teres só 4 canais para 4 dispositivos… podes ter vários dispositivos a utilizar só 1 sintonizador se o canal ou canais (podem existir vários numa frequência).
Ex: 10 clientes kodi a assistir 6 canais diferentes e mais 4 a assistir ao mesmo canal, num total de 7 canais utilizando só 1 tunner (num equipamento que pode ter 4 tunners) ficam 3 disponíveis ainda disponíveis.

Este tópico foi automaticamente fechado 90 dias após a última resposta. Novas respostas não são permitidas.


Copyright © 2017-2020. Todos os direitos reservados
CPHA.pt - info@cpha.pt


FAQ | Termos de Serviço/Regras | Política de Privacidade