Consumir a minha energia gerada ou vendê-la

Peço aos organizadores do fórum que, se julgarem o assunto fora de tópico, movam esta publicação para outro tópico mais adequado. Dito isto:

Eu, a partir deste mês, compro energia elétrica por 130 euros o mega Watt via Endesa. Entretanto, vendo o meu excesso de produção solar pelo preço OMIE (https://www.omie.es/pt) que, se forem ver, amanhã compra minha energia por 201,34€ o mega Watt. Vendo o meu excesso de produção pelo preço OMIE do dia menos 10% de comissão cobrado pela empresa que compra, a Luzboa.

Logo, me é mais barato gastar eletricidade do GRID do que consumir aquela que eu gero pois, ao vender o que gero, ganho mais do que aquilo que pago pelo mesmo consumo. Isto põe uma “confusão” na forma que devemos configurar os nossos aquecimentos/refrigeração; máquinas de lavar/secar; carga de veículos; etc.

Estou tentando encontrar um meio de utilizar o HA, com Node Red, para tomar as decisões corretas de quando eu devo utilizar a minha produção ou gastar do GRID.

Isto leva-me a muitas questões de como automaticamente ligar:

  • A máquina de lavar pratos em função do preço da energia?
  • O mesmo acima mas para a máquina de lavar roupas;
  • O mesmo acima mas para a máquina de secar roupas;
  • O mesmo acima mas para o aquecimento de água;
  • O mesmo acima para a carga da bateria do carro;
  • Etc.

Alguém “louco por poupança” como eu no grupo que já pensou/enfrentou isto e que queira partilhar como podemos, via HA + Node Red, obter o melhor?

Obrigado!

2 Curtiram

Não estou a ver como é que vais conseguir consumir eletricidade da rede e ao mesmo tempo estares a injetar a eletricidade que produzes para a rede.

A única forma que vejo de conseguires fazer isso que pretendes é teres duas instalações e contadores separados.

Não @JCOR65! A ideia não é ter duas ligações ao GRID. Como posso colher o valor de venda do dia, posso também, via HA, utilizar o apropriado em função do preço da energia.

O difícil, para o que peço ajuda, é de como podemos ligar máquinas “não inteligentes” no momento energético mais favorável.

Muito importante, alertar a comunidade, que por vezes implementa soluções soluções caras para consumir tudo o que pode da sua energia solar, que nem sempre nos é favorável consumir a energia que produzimos.

Tens várias opções para controlar maquinas “não inteligentes”, só depende do que queres controlar.

Isto é capaz de servir.

https://community.home-assistant.io/t/emhass-an-energy-management-for-home-assistant/338126

@JCOR65, como assim? Por exemplo, imagine que tens uma máquina de lavar roupa (ou pratos) que é daquelas de controle eletrónico. Elas só iniciam o trabalho quando carregas no botão de “liga/on”. Como é que conseguem ultrapassar isto?

@luuuis, para mim é relativamente simples fazer o controle. O problema está no ligar de equipamentos. Leia a minha pergunta ao João Carlos e entenderás.

O mais simples é ligar a máquina e logo de seguida cortar-lhe a alimentação com um relé. Depois repôr a alimentação na hora de funcionar.

Ou então algo tipo o Shelly Uni para simular o pressionar do botão, o que já requer alguma cirurgia às máquinas.

Ok, é que o âmbito da publicação inicial “Consumir a minha energia gerada ou vendê-la” pareceu-me bem mais abrangente. :slight_smile:

É que aqui no fórum eu vejo uma grande preocupação em consumir tudo o que se produz e chega mesmo o limite de como fazê-lo dentro de cada quarto de hora. Eu também já quis isto e pensava assim. Entretanto, para quem vende algum excesso pode ser bem mais vantajoso evitar o consumo durante a produção (vender ao máximo possível) e depois consumir do GRID após o tempo de produção solar. Isto inverte totalmente o conceito de muitos.

Aproveitei o tópico então para alertar aos colegas que poderiam ainda não ter dado com isto e, ao mesmo tempo, ver como vou fazer para, via HA, só ligar equipamentos quando me for financeiramente vantajoso e não quando produzo.

O desafio é: Como ligar uma máquina que tens de carregar num botão para ela iniciar o ciclo de trabalho? Acho que vou te de incluir um relé em paralelo com o botão, relé este controlado por um ESP/Tasmota que, por sua vez, é controlado pelo HA.

No teu caso (vendes a preço mais elevado do que compras) o melhor não será ligares após/antes período do sol. Nesse caso e para os equipamentos que não tens solução, fazes manualmente. Os restantes podes colocar o NR a mandar fazer automaticamente.

Dúvida: vendes a esse preço (indexado e com 10% para o comprador).
Relativamente aos impostos: como isso vais ser taxado em termos de IVA, IRS, etc? Não vais levar com a “moca” dos pregos em impostos? Ou há alguma isenção?

@lopitos, atualmente é o que faço: ligo as coisas conforme o mais favorável. Vale a pena mencionar que, em janeiro, não houve um único dia que valesse consumir a minha energia já que o preço diário de venda mais baixo foi de 177€/MW. Tirando os 10% do comprador, ganho 159€/MW. Como compro a 130€/MW, mais vale vender tudo o que puder…

Em relação ao imposto, é uma pergunta de ouro que estou a pesquisar o que se passará. Acho que dentro em breve o site do IRS abre e vou lá ver a “realidade”. Assim que souber, meto aqui a informação.

1 Curtiu

@Moacir_Ferreira, conforme o @luuuis mencionou, o que tens a fazer é teres relês inteligentes, ou no quadro ou na tomada dos aparelhos, e carregares no botão de ligar/desligar de cada aparelho, de seguida deligas o relê inteligente e programas o mesmo para só ligar depois da tua produção de energia terminar, assim não estas a gastar a energia que produzes.

A maioria dos aparelhos eletrónicos voltam à posição onde se encontravam no momento da falha de energia (claro que essa técnica pode não ser muito saudável para a eletrónica do aparelho em questão).

Outra das soluções passa por arranjar “dedos eletrónicos” para ligar os aparelhos.

Tens gestores de excedentes para aquecer a água que canaliza o excedente para uma carga resistiva. Por acaso ainda não fiz nenhum para carregar VE mas tb ainda não tive cobaias… Há carregadores que aceitam de carregamento mediante um controlo por tensão.

@blackbass, o pagamento do que vendemos é feito via um processo chamado “auto-faturação”, onde o comprador da tua energia emite uma fatura em teu nome no valor do que vendeste. Depois te enviam um ficheiro SAF-T, que tens de carregar no site das finanças. A fatura é automaticamente isenta de IVA, pois neste caso sou um produtor e o IVA só é cobrado ao comprador final.

Relativamente ao IRS ainda não sei… Não creio, contudo, que deixem-nos ter uma renda isenta de impostos pelo que este valor deve somar-se ao nosso global. Assim que o site das finanças abrir para efeito do IRS eu faço uma simulação e deixo aqui o resultado.

O processo com a Luzboa foi burocrático mas muito fácil pois eles tratam de tudo. A REN exige o reconhecimento da tua assinatura no contrato pois dás poderes a Luzboa para vender tua energia e auto-faturar a mesma em teu nome. Para contactar a Luzboa basta enviar um e-mail para apoiocliente@luzboa.pt. O plano que tenho é vender o excedente diário pelo preço médio diário estabelecido pelo OMIE (https://www.omie.es/pt), subtraído de 10% de taxa de administração deles. Eu, dentre mais de 10 empresas que contactei, achei esta a melhor oferta de compra do meu excedente, mas recomendo que consulte pelo menos 3 empresas antes de decidires.

Por último, atenção que terás de assinar o contrato e enviar uma cópia (print screen) da Mera Comunicação Prévia (MCP) pelo que tens de ter a cópia da MCP contigo. Caso não tenhas, tens de pedir a quem fez a instalação.

Boa sorte!

O rendimento terá certamente de ser declarado no Anexo B e, não havendo nenhum regime de exclusão, será tributado.

Muito obrigado pela resposta!

Boa tarde!
Através da integração https://www.home-assistant.io/integrations/pvpc_hourly_pricing/ é possível saber o preço horário. A minha pergunta é, e peço a vossa ajuda, como obter no HA um sensor com a média diária desse valor (descontando depois a percentagem do comercializador, que essa parte sei)? Já agora, contactei a empresa e já estão a cobrar 20% de comissão, não 10%… Tentei negociar, mas nada… De qualquer forma parece-me bem à mesma, para quem neste momento “oferece”.

Boas tardes! Vou optar por esta solução, com valor diário indexado, só me falta realmente fazer o sensor com o valor real por dia (que no post acima já expliquei não saber bem como fazer). Mas queria mais uma ajuda, e sei que é off-topic, mas não estou a ver bem as opções para abertura de actividade nas finanças. Sendo alguém já com experiência, será que me podia ajudar? @Moacir_Ferreira ? Muito obrigado desde já!
Pedro Roque

Eventualmente só tens de declarar

Em caso de desemprego nem se deve atingir o mínimo para fazer IRS

Com auto-faturação supostamente o iva já é retido

1 Curtiu

Alguém sabe como obter o valor real diário do preço de venda da eletricidade?
Uso a integração https://www.home-assistant.io/integrations/pvpc_hourly_pricing/ que me dá o preço horário, e que tem como atributos as últimas 24h, cada hora num atributo.

Experimentei a fazer um sensor para a média desses atributos todos:

- platform: template
  sensors:

    preco_electricidade_venda_kwh:
      friendly_name: 'Preço Venda Electricidade (24h)'
      value_template: >-
        {{
          ((state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_00h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_01h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_02h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_03h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_04h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_05h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_06h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_07h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_08h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_09h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_10h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_11h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_12h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_13h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_14h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_15h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_16h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_17h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_18h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_19h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_20h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_21h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_22h')|float(default=0) +
          state_attr('sensor.pvpc_portugal','price_23h')|float(default=0)) / 24 ) | round(5)
        }}
      unit_of_measurement: '€/kWh'

no entanto o valor fica muito acima do que é indicado na página oficial da OMIE:
https://www.omie.es/pt/market-results/daily/daily-market/daily-hourly-price?

  • o valor que pretendo é o que está indicado no gráfico de “pie”, com os preços médios em Portugal.

Neste caso o que obtenho é:
Pelos meus cálculos, através do meu sensor, valor = 0,29847
Pelo valor indicado no site, está neste momento = 0,17814, que é o valor correcto
Desse valor ainda terei de tirar os 20% de comissão da empresa, e talvez também fazer cálculo ao IRS para ter o valor real de retorno, mas isso sei fazer.
O que não consigo é obter o valor certo de PVP (os 0,17814). Alguém sabe de alguma maneira de extrair / obter esse valor, seja através de scrape do site ou pela API? @Moacir_Ferreira? Alguém?


Copyright © 2017-2021. Todos os direitos reservados
CPHA.pt - info@cpha.pt


FAQ | Termos de Serviço/Regras | Política de Privacidade