Ajuda para principiante / noob (opiniões, por favor)

Boa tarde a todos.

Tenho já alguns dispositivos “semi”-inteligentes que uso para controlar através do Google Home e/ou através de rotinas nas aplicações correspondentes. No entanto começo a perceber a necessidade de algo mais fiável e mais “inteligente”, que interligue entre marcas e me permita automatizar certas coisas com filtros específicos, seja tendo em conta presença de 2 pessoas na casa, meteorologia, dados de sensores e/ou horário.

Até agora, o que tenho:
a) GOOGLE:

  • Choromecast 2
  • Google Home Mini

b) SmartLife / Tuya

  • 1 Lâmpada inteligente RGBW WiFi
  • 4 fichas 10A Inteligentes WiFi (controlo máquina
    café, triturador, máquina da loiça e 1 candeeiro normal)
  • 4 fichas 16A Inteligentes WiFi c/ informação de consumo (controlo de horário de alimentação suplementar de painéis solares para água, aquecedor, termoventilador, desumificador)
  • 1 Ficha tripla Inteligente WiFi, c/ 4 tomadas individuais + grupo USB
  • 1 HUB Zigbee ligado por WiFi, com os seguintes sub-dispositivos:
    • Sensor porta x 3
    • Sensor movimento
    • Sensor de humidade e temperatura
    • Sensor de inundação

c) Broadlink

  • 1 RM Pro+ (Controlo por WiFi de IR + RF) - Uso para controlar 1 televisão, MEO, box android, sistema de DVD Surround que está ligado à televisão e o portão da garagem.
  • 1 RM3 mini (Controlo por WiFi de IR) - Uso para controlar 1 televisão + 1 box android

d) SONOFF:

  • 3 fichas USB WiFi (que queria utilizar, quanto mais não fosse, para detectar se o dispositivo “não inteligente” onde estão ligados está ou não a funcionar, e automatizar outros a partir disso - e não consigo)

Tenho mais coisas “a caminho” e muitas ideias, mas estou a ficar limitado às aplicações separadas, ao Google Home que me falha muito em rotinas com acções múltiplas, à falta de controlo de condições (que tentei também com IFTTT Pro) e raramente consigo obter o resultado esperado. De tudo o que tenho usado, mesmo assim, a aplicação Smartlife é a que tem dado melhores resultados, mas não me permite depois, por exemplo, ter feedback no Google Home das acções executadas.

Estou a pensar realmente embrenhar-me nisto e comprar um Rapsberry Pi 4 para o HomeAssistant, mas tenho conhecimentos muito limitados, e sei que terei de seguir
muitos tutoriais “passo a passo” e às cegas pois não saberei realmente o que estou a fazer. Como tal, tenho “algumas questões”, que gostaria que uma alma caridosa que tivesse alguma paciência, explicasse a este grande noob:

  1. Terei de ter um IP fixo para controlar o HA do exterior? Se sim, qual a melhor e mais barata forma de o fazer?

  2. Será necessário flashar todos estes dispositivos para que funcionem com o HA, ou há integrações directas no HA?
    Se SIM:
    1.2. Terei de fazer isto abrindo fisicamente os dispositivos ou há maneira simples de o fazer por wireless (OTA)?
    1.2. Após o flash continuarão a funcionar com as aplicações respectivas e Google Assistant directamente?

  3. Poderei aproveitar a máquina em questão (RPi4) também para outros recursos (por exemplo, kodi, servidor de música, etc…), tendo como base a instalação do HA?

  4. Será fácil actualizar o HA sem perder tudo o que já tenho configurado / guardado, assim como os dados respectivos? Qual a melhor e mais simples forma de o fazer para garantir isto?

Desculpem o “mega” post, mas estou mesmo perdido! :frowning:
PS: Alguém de Évora por aqui que pudesse dar uma ajuda mais “ao vivo”?
Obrigado desde já a todos e parabéns por esta comunidade!
Pedro Roque

Quando se começa, nunca se pensa mais á frente, e depois acontece sempre isto, limitações :slight_smile: Normal :slight_smile:

Respondendo as tuas questões (do meu ponto de vista)

1- O HomeAssistant deverá ter um ip fixo, para que consigas reencaminhar a porta no router, e com um dns teres acesso do exterior.
Aqui não gastas nada mais, só tens de fazer configurações

2- Grande parte dos dispositivos já os consegues integrar no HomeAssistant sem flashar (não sei se dão todos os que tens ou não, mas alguns dão). Basta configurares bem no HomeAssistant para que eles apareçam (não te sei ajudar mais, porque não uso esse método).
Se fizeres esta integração, tudo o que tens neste momento, continua tal como está.

3- Talvez o ponto mais importante. O RPI já não me parece suficiente para ti. Serve para começar, mas em pouco tempo vemos as limitações. Tu já tens uma série de equipamentos, e já queres mais, por isso, o melhor, é pensares num NUC única e exclusivamente para HA.
Não inventes a ter algo mais instalado, se não vai-te “faltar” recursos mais tarde.

4- Penso que conseguirás integrar algumas dessas automatizações no HA, mas ao começares com HA, perde um pouco e trabalha lá tudo.

Para quem não está por dentro do assunto, requer muita leitura, mas com um fórum destes, chegas onde queres, porque há por aqui muito boa gente com muito boa sabedoria de HA , e acima de tudo, com o objetivo de ajudar :slight_smile:

Não podes querer é que te “façam” o trabalho, mas se pesquisares, leres, e tiveres dúvidas, está comunidade ajuda-te

Ena, muito obrigado pela resposta, Daniel! Realmente não procuro que me façam o trabalho por mim, só precisamente aquilo que fizeste: apontar direcções / opções e respectivas limitações, é aí que estou perdido e que ainda não sei por onde começar. Preciso precisamente disto, de opiniões de quem já usa, já passou por dificuldades e já teve de tomar novas opções. Transmissão de experiências, basicamente. Obrigado mais uma vez!

Aqui vais conseguir isso :slight_smile:

Espera novas opiniões, porque as opções no mercado são tantas, e cada utilizador acaba por ter diversas soluções instaladas em casa.

Eu em casa, coloco tasmota em todos os dispositivos, e depois faço tudo no HomeAssistant.

O HomeAssistant é o cérebro de tudo :slight_smile:

1 Like

Se te referes a um IP fixo externo, não não precisas. Mas a máquina que corre o HA tem de ter IP fixo. Para acederes por fora tens depois o addon do DuckDNS que trata disso,

Os equipamentos da Tuya normalmente podem ser flashados com Tasmota via OTA se usarem um chip baseado no ESP8266, se não for esse o chip é impossível flashar embora haja uma integração da Tuya com o HA (mas que vai usar a cloud). Se derem por OTA não precisas de abrir, se não derem só abrindo o flashando. O Google Assistant também integra com o HA.

Se queres isso tudo esquece o Rpi e pensa num NUC.

O HA tem snapshots que podem ser passados para outra máquina. Podes saber mais neste tutorial:

No geral aconselho-te a leres muito aqui no Fórum e também no fórum oficial em ingles. Muitas das tuas duvidas já foram aqui tratadas. Mas acima de tudo acho que deves pensar primeiro em que máquina queres instalar o HA pois isso poderá condicionar no futuro o que podes/queres fazer.

1 Like

É pá, obrigado, mesmo! Estou a ler muita coisa por aqui e por fora, já há algum tempo, a tentar ter uma “visão” mais abrangente da coisa, mas tentando perceber o que cada opção implica depois a nível de conhecimentos / pormenores de configurações / necessidades de mexer em hardware / curva de aprendizagem e utilização de um modo geral (vejo MUIIITAS opções diferentes e ainda não consigo ter uma visão das vantagens / desvantagens de cada uma).

Tenho um PC Windows já com uns anitos, mas acho que vou tentar instalar e tentar configurar em Windows para ver se consigo algum progresso, seguindo os tutoriais que por aí há sem alterar firmware nos dispositivos, e tentar perceber se isto pode ou não ser para mim, e só então depois, se a coisa correr minimamente bem, passar a uma solução dedicada e, talvez, passar a usar então o tasmota nos dispositivos. O que acham?

Obrigado mais uma vez, Jorge!

Tasmota parece-me bastante útil nos sonoffs e nas tomadas tuya. Eu tenho algumas Tuya based com medidor de consumo. Embora o Tuya integre com o HA via coud (com todos as desvantagens que isso tem), eu não consigo ter as leituras de consumo.

Além disso, na minha opinião, tudo o que der para flashar e tirar o FW original é fazer logo enquanto dá. Por exemplo, todas as tomadas tuya flashei o tasmota usando o “tuya-convert”. Muito fácil e sem soldar (apenas ligar e correr um script na RPI). O problema destes métodos é que hoje funcionam e amanhã ninguém sabe (podem ser corrigidos os bugs no FW que permitem isso).

1 Like

Acho que é o mais inteligente a fazer em relação à maquina que vai correr o HA. A utilização de um portátil antigo (por exemplo, o “famoso” Magalhães) também é uma boa opção para tentares perceber se é realmente o caminho que queres seguir.

Um dos problemas que por vezes acontecem é querer-se começar com um hardware demasiado básico e que, como tal, que tem limitações e quando essas limitações surgem pensar-se que o problema está na tecnologia usada (zigbee, wifi, zwave,etc.) ou nos conhecimentosque se têm e não do hardware.

Dar dá sempre mas de facto deve ser feito logo de inicio. A médio/longo prazo poupam-se muitas horas de trabalho ao flashar os dispositivos com firmware alternativo logo de inicio (Tasmota, Espurna, ESPhome, ESPeasy, etc.) do que mais tarde, pois além de ter de se flashar o firmware tem de se alterar todas as configurações, entidades, automações, etc.

1 Like

Muito obrigado, João! Uma pergunta, então: a partir do momento que flasho o tasmota tenho alguma opção de controlo através do Google Home sem o HA ou fico definitivamente dependente de ter o meu próprio servidor?

Do que conheço do Tasmota é local-only. Logo não consegues comunicar com serviços da cloud. Tasmota tem o problema de ser um caminho sem retorno ao FW original.

Mas se fosse a ti, apostava no servidor local.

Mencionas-te alguns problemas com routinas e ainda por cima estás sempre sujeito a que serviços que tu dependes passem a ser pagos (exemplo do IFFFT). Ou até desapareçam.

1 Like

Isso não é inteiramente verdade, tanto os dispositivos da Shelly como da Sonoff podem ser revertidos para o firmware original. Já outras marcas não fornecem o firmware original.

@FragMenthor não vou comentar muito mais do que aqui já foi dito.
Chegar aqui é fácil, comprar é ainda mais fácil difícil é manter.
Ainda não te foi dito, mas serei o primeiro já a alertar te que o Home Assistant é como um animal de estimação… é preciso tempo e dedicação e sobretudo muita paciência…caso não tenhas esses “ingredientes” será difícil te manteres nesta plataforma…lê muito o fórum…e aprenderás bastante.

1 Like

O meu receio é em relação aos devices em que se usa métodos OTA para flashar… Pode ser mais dificil reverter.

1 Like

Por OTA nunca tentei mas tanto os Shellys como os Sonoffs até com fios encostados se conseguem flashar

1 Like

Então no caso dessa tomada Tuya, que também tenho, com medidor de consumo, o facto de não se conseguir ler os dados no HA com o firmware original está no facto de a integração ainda não contemplar (podendo no futuro?) ou é outro problema? Flashando essas com Tasmota já consegues leituras no HA? Obrigado desde já.!

Nunca se sabe o que eles podem integrar no futuro. Eu na app da tuya tinha o consumo, no HA não.

Em relação ao tasmota, isso depende da tomada em questão.
Verifcas neste site se existe a tomada: https://templates.blakadder.com/.

Eu tenho umas blitzwolf BW SHP2. Tenho outra da koogeek que também dá o consumo.

1 Like

Ando a pesquisar, pesquisar, pesquisar… Achei este vídeo fazendo referência à utilização da app SmartThings da Samsung (da qual não tenho dispositivo nenhum) para controlar dispositivos tasmotados através da nuvem (além de local). Alguém tem experiência com isto? No fundo o meu objectivo é manter uma alternativa viável à perca de um servidor local e de tudo o que isso implica, mantendo controlo pela nuvem. Será viável? Achei isto bastante interessante, mas pelo que percebi terei de ter um HUB SmartThings para isto. Alguém já tentou algo parecido?

[https://www.youtube.com/watch?v=hTzD5sT89Us] - (SONOFF, TUYA E RF NO SMARTTHINGS COM FIRMWARE TASMOTA (TASMOTA-CONNECT))

O objectivo principal do HA é a não dependência de clouds e, se não estou enganado, a utilização que descreves obriga o HA a usar a cloud do SmartThings…

E a perda do servidor onde corre o HA provocar uma interrupção no serviço em casa só ocorre se estiver mal configurado. Primeiro porque o HA só deixa de funcionar se tiveres uma falha no hardware onde ele corre, e segundo o controlo do básico (luzes principalmente) deve sempre continuar em caso de falha do HA, tudo o resto é acessório.

Um interruptor bem montado (por exemplo o Shelly) funciona SEMPRE desde que tenha electricidade. Pode falhar o HA, o MQTT, o COAP, ou outra coisa qualquer e quando carregas no interruptor a luz acende ou apaga. Caso o HA falhe perdes apenas as automações (caso não uses Node-Red) e isso é perfeitamente suportável durante o tempo que levares a repor o sistema. Por isto tudo, acho que meter coisas na cloud é completamente desnecessário além de ser uma enorme falha de segurança.

Acrescentando ao que o @j_assuncao disse, acho que a cloud não deve ser olhada com o modo “robusto” de fazeres as coisas. Acho que mais depressa tens desgosto com a cloud do que com hardware mais configurado.

Além disso muitas vezes na cloud tens de misturar vários serviços para alcançar o mesmo objectivo que conseguias com o HA. Logo mais pontos para falhar.

1 Like

O cerne da minha preocupação está no título deste tópico (noob). O meu receio é, simplesmente, perder o acesso aos dispositivos que agora tenho, depois de os flashar, sem saber se tenho sucesso nem ainda muito bem como (mais uma vez, noob). Então ando a explorar todos os IF’s… THEN… ELSE de forma a salvaguardar-me de todas as hipóteses. Esta solução que vi sei que é fora deste fórum, sei que foge ao objectivo, mas até agora, se funcionar, é a única Cloud free (por enquanto) que poderia permitir integrações de todas as outras marcas (que já percebi que há no GitHub integrações para muitas). Se não conseguir ter sucesso com o HA poderei, mesmo com os flashados, voltar a ter integração com Google Home e alguns automatismos directos. Desculpem se é off-topic, estou só a procurar experiências. Obrigado a todos!!!


Copyright © 2017-2021. Todos os direitos reservados
CPHA.pt - info@cpha.pt


FAQ | Termos de Serviço/Regras | Política de Privacidade